[email protected] | (62) 3624.2568

Curso de reiki: um convite à felicidade

Curso de reiki: um convite à felicidade

O reiki tem se popularizado cada vez mais em razão dos inúmeros benefícios que proporciona. O próprio Sistema Único de Saúde (SUS) já oferece atendimento para pacientes. Mas, a boa notícia é que as pessoas que fazem o curso de reiki  podem aplicar nelas mesmas ou à distância em outras pessoas. Ou seja, não é um método exclusivo para quem deseja atuar profissionalmente atendendo pacientes. A sua prática pode proporcionar felicidade e uma vida mais calma e tranquila.

O curso de reiki pode ser feito por qualquer pessoa. E o reikiano pode utilizar o reiki também para proteção sua contra energias densas e ambientes agitados. Já que ele pode ser aplicado em qualquer lugar e a qualquer hora, sem contraindicação.

Sensei Valério Lima, fundador da Escola Brasileira de Terapias Japonesas, reforça que o monge budista, criador do reiki, Mikao Usui, escreveu um manual a respeito. “Ele descreve o reiki, inicialmente, como um método de convite à felicidade. E também o apresenta como uma forma de medicina espiritual, que cura as doenças do corpo e da mente”, afirma.

Sistema de reiki tradicional japonês

O sistema de reiki tradicional japonês preconiza o uso de técnicas de meditação, além da imposição de mãos. Pois busca-se a cura e reequilíbrio do corpo e da mente. Um dos objetivos do reiki é fazer com que a pessoa desperte a consciência de si mesma e encontre o caminho para o equilíbrio.

Há exercícios de respiração, que além de auxiliarem na saúde e na vitalidade do corpo, também fazem com que a pessoa desenvolva um estado de calma e tranquilidade. Valério Lima destaca que na atualidade é imprescindível buscar a o equilíbrio e a felicidade. “A ansiedade, o estresse e a correria diária têm pesado na vida das pessoas”, lamenta.

“O reiki também promove uma proteção energética”, pontua. O Sensei ressalta que há pessoas que possuem uma maior sensibilidade em captar energias de ambientes e de outras pessoas. Conforme ele, o reiki é muito recomendado para pessoas sensíveis. “Tem pessoas que chegam em um ambiente onde há discussão e sai dele passando mal. Isso significa que ela captou essas energias densas e trouxe desequilíbrio para o seu corpo. Logo, se a pessoa tiver uma formação em reiki, ela consegue se proteger antes. Pois o reiki pode ser aplicado em si mesmo, em qualquer local ou hora e pode até mesmo ser enviado à distância por alguém que esteja precisando”.

Valério Lima, Mestre em reiki explica que não é possível aprender o reiki somente em livros. O curso de reiki é pré-requisito, pois há um processo de sintonização. “Durante o curso, o aluno faz uma sintonização, que é o que o habilita a captar a energia do Universo e transmitir ela para si mesmo e para as outras pessoas”.

Particularidades do reiki japonês

O reiki tradicional japonês é pouco disseminado no ocidente. Sua característica é desenvolver também o sopro, o olhar e a sensibilidade das mãos. “O sopro ajuda, por exemplo, em queimaduras e feridas. A técnica do olhar permite tratar áreas do corpo onde não se pode tocar, como exemplo, pessoas com psoríase. A sensibilidade das mãos é o grande diferencial do método japonês, pois a pessoa aprende no curso a descobrir as áreas do corpo onde estão presentes as toxinas, por meio das mãos”, esclarece.
Dentro da visão do reiki japonês e das teorias orientais, as toxinas são responsáveis por trazer as doenças para o corpo. Porque elas criam bloqueios por meio desses resíduos metabólicos. Com a sensibilidade das mãos desenvolvida, é possível tratar com maior rapidez e obter resultados mais efetivos.

O reiki japonês também realiza práticas de meditação, como a meditação Gashoo. Além disso aborda o aspecto filosófico. Ensina os princípios do reiki que levam o indivíduo a se tornar uma pessoa melhor, auxiliando outras pessoas, minimizando o sofrimento alheio e, favorecendo o despertar da felicidade.

Formação em reiki tradicional japonês da Kangendô

A Kangendô oferece o curso do reiki tradicional japonês. De acordo com Valério Lima, esse método do reiki requer mais tempo de estudo e de prática. “Enquanto o curso de reiki do método ocidental níveis I e II é feito em dois dias, o método oriental demanda dois dias somente para o nível I, com carga horária variando entre 14 e 16 horas. Além disso, no reiki japonês, é necessário passar de um a dois meses de prática contínua, frequentando a escola e o ambulatório de atendimento à comunidade”, reforça.

O atendimento nos ambulatórios é feito por alunos do curso de reiki, sob a supervisão dos professores. “Somente após passar por essa prática é o que o aluno poderá realizar o nível II. Normalmente há um intervalo de um ou dois meses entre um nível e outro. E o nível II ocorre em um final de semana, ou seja, com a mesma carga horária do nível I”.

Tendo o curso de reiki nível I e II, o aluno já pode iniciar a sua prática profissional. Ele pode atender outras pessoas, ou usar em benefício próprio ou de familiares e amigos.

Formação para terapeuta em reiki tradicional japonês

A Kangendô é pioneira em desenvolver uma prática específica para a pessoa que deseja trabalhar com reiki. Após finalizar o nível I e II, a pessoa pode entrar no nível 3A que é formação para terapeuta em reiki tradicional japonês.

Nessa formação, o aluno tem a oportunidade de estudar profundamente o reiki e aprender as 20 técnicas do reiki tradicional japonês. Além disso, vai estudar pormenor toda a fisiologia energética do corpo, a relação das emoções com os órgãos internos, chacras, meridianos, e várias outras técnicas. Todas elas irão favorecer uma atuação de sucesso, com a obtenção de resultados efetivos e rápidos no tratamento das pessoas.

Até o terceiro nível, o aluno tem uma média de seis encontros aos finais de semana, totalizando quase 100 horas de prática e estudo do reiki tradicional japonês.

Clique aqui e inscreva-se para o próximo curso de reiki na Kangendô.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *